VI SELL – LANÇAMENTO


capa-final-21-abril-gotico

AUTOR: Júlio França & Luciana Colucci
TÍTULO: As nuances do gótico: do Setecentos à atualidade
EDITORA: Bonecker
Ano: 2017

We live in Gothic times (CARTER, Angela, 1974)

Este livro reúne os ensaios que foram apresentados no I Seminário de Estudos Góticos (SEG) realizado, na Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM/MG), em 2014, congregando os pesquisadores do Grupo de Pesquisa de “Estudos do Gótico” (CNPq), resultado de um trabalho em rede entre professores da UERJ, da UFTM, da UFG (Campus Catalão) e da UNESP (FCL-Ar).

Como bem ressalta Edwards, desde 1980 os estudos relativos ao Gótico têm despertado a atenção de pesquisadores em todo o mundo. Por meio de investigações sob as mais variadas perspectivas críticas, diligências numerosas têm abordado o campo controverso, “escorregadio” e intrigante que é o Gótico, tanto na literatura quanto em outras manifestações culturais.. E, para além de suas imbricações com as artes, a política, a história, a religião e a moda, o Gótico também se transformou em um estilo de vida para aqueles que, de uma maneira ou de outra, optaram por uma forma de transgressão a todo e qualquer tipo de status quo.

As constantes metamorfoses da tradição gótica do Setecentos até à contemporaneidade acabaram por transformar o vocábulo “gótico” em um termo polissêmico, capaz de abarcar as mais diversas manifestações culturais. É justamente essa clave que desperta a atenção de tantos acadêmicos dedicados à investigação tanto do Gótico europeu quanto à sua aclimatação em outras regiões.

É no liame entre as múltiplas linhas teóricas e críticas desses autores que se apresenta, portanto, este dossiê.

Alexander Meireles da Silva abre a coletânea explorando a relação entre os monstros híbridos de A sombra em Innsmouth (1936), de H. P. Lovecraft, e as mudanças ocorridas nos Estados Unidos das primeiras décadas do século XX, sobretudo àquelas relacionadas à crescente presença de imigrantes na sociedade americana. Já Aparecido Donizete Rossi retorna à fundação do gênero para descrever a dramatização dos “pecados dos pais” como um tema central para a tradição gótica desde O castelo de Otranto, de Horace Walpole. Na sequência, Claudio Zanini une, sob o prisma da “pedagogia da desumanização”, extremos temporais da tradição, aproximando o sadismo e a perversão de Os 120 dias de Sodoma, de Sade, aos de Assombro, de Chuck Palahniuk, mergulhando na discussão moral que atravessa toda a história da literatura  gótica.

Os três artigos seguintes enveredam pelas marcas do gótico na literatura brasileira, ao começar pelo de Fernando Monteiro de Barros, que, extrapolando os limites da prosa ficcional, observa a insidiosa presença de sombras na Belle Époque tropical, ao estudar a presença de elementos góticos na poesia decadente de Teotônio Freire. “As unhas”, conto do escritor mineiro Murilo Rubião, é o ponto de partida para que Flávio Garcia, valendo-se das reflexões teóricas de Filipe Furtado, discorra sobre a sempre móveis fronteiras entre a literatura fantástica e a literatura gótica. E Júlio França investiga as causas do sequestro do gótico na literatura brasileira, ao mesmo tempo que aponta para como pesquisas recentes vêm consolidando a observação da presença do gênero na ficção literária nacional.

O American Gothic é o campo de estudos de Justin Edwards, mais especificamente Charles Brockden Brown, um dos pilares do gótico norte-americano. O ensaísta investiga as relações entre lei e transgressão, em suas articulações com a própria história da colonização dos EUA, no romance Edgar Huntly. O ensaio “A filosofia do mobiliário”, de outro escritor norte-americano, Edgar Allan Poe, fundamenta o artigo de Luciana Colucci, que propõe, por uma perspectiva toponalítica, reflexões sobre uma poética do espaço na literatura gótica. Por fim, fechando o volume, Marisa Martins Gama-Khalil retorna à literatura brasileira para demonstrar como Lygia Fagundes Telles revisita a literatura gótica em seus contos que tematizam a projeção do medo e da morte.

Finalmente, nossos sinceros agradecimentos aos colegas que aceitaram não somente os desafios deste dossiê e a edificação do Grupo de Pesquisa, mas, também, pela confiança e compartilhamento de sua amizade. E desejamos que os leitores se sintam instigados e convidados à investigação do modo Gótico em suas multíplices ópticas e possibilidades.

Júlio França (UERJ)

Líder do Grupo de Pesquisa ‘Estudos do Gótico’

Luciana Colucci (UFTM)

Vice-líder do Grupo de Pesquisa ‘Estudos do Gótico’


 

capa-paginas-latino-americanas AUTOR: Wilson Alves-Bezerra
TÍTULO: Páginas latino-americanas. Resenhas literárias (2009-2015)
EDITORA: Oficina / Edufscar
Ano: 2016; 254 pp.

A literatura latino-americana é espaço peculiar de investimento estético, político e identitário em questões centrais para os países esse continente, ou melhor, desse lugar plural, geográfica e culturalmente cheio de afinidades e diferenças internas. Às literaturas latino-americanas dedicam-se os textos aqui reunidos, todos escritos a partir de livros ou de alguma circunstância específica, o que os leva a tocar o panorâmico a partir do particular. E é justamente um vasto panorama da literatura feita do Uruguai ao México, passando pelo Brasil, que nos apresenta Wilson Alves-Bezerra ao reunir, neste livro, as resenhas literárias que escreveu para alguns dos principais veículos brasileiros de comunicação de massa, entre 2009 e 2015. Páginas latino-americanas é uma viva conversa com ótimos interlocutores, desde a tradição de Quiroga, Borges, García Márquez etc., até a contemporaneidade de autores que enfrentam o desafio de escrever hoje.

retrato-wilson-alves-bezerra Wilson Alves-Bezerra é escritor, tradutor, crítico literário e professor de literatura. É autor dos seguintes ensaios: Reverberações da fronteira em Horacio Quiroga (Humanitas/FAPESP, 2008) e Da clínica do desejo a sua escrita (Mercado de Letras/FAPESP, 2012); e das seguintes obras literárias: Histórias zoófilas e outras atrocidades (contos, EDUFSCar / Oitava Rima, 2013), Vertigens (poemas em prosa, Iluminuras, 2015, que recebeu o Prêmio Jabuti 2016) e O Pau do Brasil (poemas em prosa, Urutau, 2016). Atua também como tradutor literário: traduziu autores latino-americanos como Horacio Quiroga (Contos da Selva, Cartas de um caçador, Contos de amor de loucura e de morte, todos pela Iluminuras) e Luis Gusmán (Pele e Osso, Os Outros, Hotel Éden, ambos pela Iluminuras). Sua tradução de Pele e Osso, de Luis Gusmán, foi finalista do Prêmio Jabuti 2010, na categoria Melhor tradução literária espanhol-português. Como resenhista, atualmente colabora com O Estado de S. Paulo, O Globo e El Universal (México). É doutor em literatura comparada pela UERJ e mestre em literatura hispano-americana pela USP, onde também se graduou. É professor de Departamento de Letras da UFSCar, onde atua na graduação e no mestrado. Foi coordenador de cultura da UFSCar, de 2013 a 2016.

 


capa-livro-001

 

teorias_linguagens Título: TEORIAS DE LINGUAGENS: PESQUISA E ENSINO
Organizadores: Marinalva Barbosa, Carlos Francisco de Morais e Maria Eunice Barbosa Vidal
Coleção: Fazer A_Parecer
ISBN 978-85-7591-392-5

 


 


livro-dos-10-anos-dos-cursos-de-letras-da-uftmlivro-dos-10-anos-dos-cursos-de-letras-da-uftm1


livro-barbara_ingles

 


 

escola-conectada

ESCOL@ CONECTADA: os multiletramentos e as tics | Roxane Rojo [org.]

A instituição escolar precisa preparar a população para um funcionamento da sociedade cada vez mais digital e fazer do ciberespaço um lugar onde se possa conviver com diferenças e identidades múltiplas. O que se busca aqui é uma educação linguística adequada a um alunado multicultural, capaz de trazer aos alunos projetos de future que considerem três dimensões: a diversidade produtiva, o pluralismo cívico e as identidades multifacetadas.

978-85-7934-069-7 | 216pp. | 16×23 cm | 2013 | Série Estratégias de ensino 40

 

 


Hipermodernidade_capa.indd

HIPERMODERNIDADE, MULTILETRAMENTOS E GÊNEROS DISCURSIVOS | Roxane Rojo e Jacqueline P. Barbosa

As discussões teóricas desse livro têm como referência Bakhtin e seu Círculo, mas postos em interação com outros pensadores, de modo a esclarecer questões e ampliar o escopo de nossa compreensão do tema. Merecem destaque a exposição clara (sempre muito bem exemplificada), seguida de sínteses, de boas referências para o aprofundamento dos estudos e de um conjunto de atividades para uma aproximação dos temas de cada capítulo por outra visada.

978-85-7934-096-3 | 152 pp. | 16×23 cm | 2015 | Série Estratégias de ensino 51


letramentos-multiplos

LETRAMENTOS MÚLTIPLOS, ESCOLA E INCLUSÃO SOCIAL | Roxane Rojo

Aprofunda uma necessária reflexão sobre conceitos como alfabetização, alfabetismo, alfabetismo funcional, diferenciando-os do conceito de letramento e de seus desenvolvimentos posteriores, configurados no conceito de letramento[s] ou de letramentos múltiplos. A autora propõe catorze atividades que pretendem levar à reflexão e/ou instrumentalizar o leitor em sua ação pedagógica.

978-85-88456-98-3 | 128 pp. | 16×23 cm | 2012 | Série Estratégias de ensino 13


multiletramentos-na-escola

MULTILETRAMENTOS NA ESCOLA | Roxane Rojo e Eduardo Moura [orgs.]

Devemos ver nossos alunos como sujeitos protagonistas na construção de conhecimentos significativos e reconhecer o lugar dos jovens como produtores e consumidores de bens culturais em novas mídias, entendendo que as culturas juvenis constroem, a partir de práticas letradas específicas, redes sociais. São as redes que permitirão a esses jovens tornarem-se agentes culturais ativos nas diversas culturas locais e globais. Este é o objeto de estudo desse livro.

978-85-7934-041-3 | 264 pp. | 16×23 cm | 2012 | Série Estratégias de ensino 29

 


 

falando-ao-pe-da-letra

FALANDO AO PÉ DA LETRA: a construção da narrativa e do letramento | Roxane Rojo

A reflexão teórica e a observação empírica do real constituem a característica principal da obra. O quadro teórico exposto na primeira parte fundamenta com solidez a análise dos dados empíricos da segunda parte, dedicada à aprendizagem da fala, e da terceira, que aborda o letramento emergente. No entanto, longe de se constituir em simples aplicação, as duas partes empíricas entram em ressonância com a teoria e a enriquecem.

978-85-7934-023-9 | 248 pp. | 16×23 cm | 2010 | Coleção Lingua[gem] 43